segunda-feira, 7 de junho de 2010

UNIFICAR O MOVIMENTO UM REAL JÁ!

SEXTA: CULTUR'ATO - 16h - FACED
ANTES DO FORRÓ DE EDC. FÍSICA


MESA: PRECARIZAÇÃO E PRIVATIZAÇÃO NA UNIVERSIDADE
PARTICIPAÇÃO DE ESTUDANTES, SERVIDORES E PROFESSORES

Movimento R.U UM REAL JÁ

domingo, 9 de maio de 2010

P/ O R.U

PaRa o ReitoR Ultimamente

Reclamo Utilizando

poema

Ritmo Unido

pelas palavRas

RefoRma UniveRsitáRia,

Dilema

RestaURante UniveRsitáRio

PRoblema

Realmente UltRajante

Rangos UsURpados

Refeições, Umas

RidícUlas, Umas

Restantes Uvas

RUins...

Reles RefUgos

Um RefRigeRante?

Um Real?

UsURa

RiU

Rapaz…

Rotina UniveRsitáRia:

RapadURa Ungida…

sábado, 8 de maio de 2010

MANIFESTO DE UM REAL:

“A história de todas as sociedades que já existiram é a história da luta de classes.”

Karl Marx & Frederic Engels, O Manifesto Comunista. Página 9.

Apenas cerca 10% dos brasileiros freqüentam o ensino superior, cursos de mestrado e doutorado. São exatamente 5,874 milhões de estudantes segundo pesquisa feita e pelo IBGE. E 75,3 % das instituições de Ensino Superior do país são privadas e dentro deste número 72,2% (fonte: Brunner e Seec/MEC-Brasil) não são Universidades, pois, para tanto, exige-se cobertura das áreas do conhecimento (cursos ou carreiras em exatas, biomédicas, humanas e sociais). O que constatamos é como este espaço público é elitizado. O acesso à Universidade é restrito. Diferente de outros países latino-americanos como Argentina, Chile e México que já não submetem os estudantes a uma prova de vestibular. E o que dizer da permanência na Universidade? Se para entrar é precisar passar pela peneira, para ficar é preciso passar pelo ralador. Na Bahia, uma política de alfabetização vem sendo implementada, mas nenhuma política barateia o preço dos livros. Nas escolas públicas, o número de repetentes diminuiu desde que a média é cinco e acertar metade da prova de quatro questões, feita em dupla, é questão de apenas um dos dois saber, e assim seguem ambos para futuramente fazer o tal vestibular.


Agora está mais fácil entrar, pois o número de vagas foi aumentado, a exigência dos patrões; do mercado de trabalho aumentou. Agora está mais difícil arrumar um emprego, principalmente em Salvador. Agora está sendo muito cobrado um diploma e daqui a pouco ter apenas um diploma será pouco. Para onde vamos? Penso, sobretudo, nos restantes brasileiros, nos 90% que não terão diploma algum. Lembro dos meus amigos, conto dez e constato a estatística, pois somente eu estou na Universidade. E a dificuldade é justamente esta. O programa de bolsas não atende a mim, pois não atende a todos. A segregação acadêmica supera-se e acontece tanto de dentro pra fora quanto de dentro pra dentro. A cara do estudante da UFBA ainda não é a cara do estudante de cota. O corpo docente tende a manter o padrão. Insinuações a parte, voltemos às informações. No estado de Minas Gerais, existem oito universidades federais,entre Belo Horizonte, Ouro Preto, Viçosa, Vales do Jequitinhonha, Mucuri, Lavras, Uberlândia, Juiz de Fora e Itajubá. Na Bahia, efetivamente, só a UFBA, pois a recente Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) ainda não formou nenhuma turma e a Universidade Federal do Vale do São Francisco(UNIVASF) também não. E ainda têm mais dois campi no interior do estado, filiados a UFBA, que muito mal funcionam, nas cidades de Barreiras e Vitória da Conquista, a mais de 600 km da capital. Penso nas pessoas que antes, e ainda hoje, precisam vir à capital estudar. A Residência Universitária têm não mais do que quatrocentas vagas. Imagino como é em Minas Gerais…


A assistência estudantil é precária na Bahia. Não é oferecido nenhum transporte entre os campi da UFBA, tendo em vista que eles são espalhados por pontos distintos da cidade, seria de fundamental importância esse serviço. Mas isso não é o pior, pois podemos caminhar meia hora ou subir mais de duzentos degraus, só não dá pra ficar sem comer. Há vinte anos, o restaurante universitário foi fechado para no local ser construída a Faculdade de Comunicação (FACOM), informação que quase ninguém sabe, salvo os mais famintos. Havia até então só um restaurante feito para atender aos residentes, perfeito, porém, e os outros tantos mil estudantes? Entraram no primeiro semestre de 2010 mais 3,5 mil estudantes e esses números crescerão. Semestre a semestre entrarão outros para engordar o corpo discente. Corpo este que têm olhos e vê tais problemas, têm ouvidos e escuta rumores, tem nariz e sente o mal cheiro, tem boca e grita por socorro e tem cabeça que permanentemente tem que pensar. Penso que um preço justo para um restaurante universitário é o de UM REAL. Em Belém do Pará é este preço, em Teresina, Piauí, mais barato, apenas noventa centavos. No Sudeste, este preço sobe um real, na USP é um e noventa, mas na UFBA um prato de comida no R.U custa nada mais nada menos do que 5,50! Na Universidade Estadual de Feira de Santana eu comeria de segunda a sexta e ainda sobrariam cinqüenta centavos para duas paçocas. Contudo, não vamos fazer comparações entre instituições de instância distintas. O descaso com Estaduais creio que é ainda maior. Na UERJ nem há restaurante universitário!


Somos a classe estudantil, somos o futuro do Brasil! Poder ser clichê ou parecer palavra de ordem, e que seja. As classes dominantes dominam também os meios de produção do conhecimento, ou melhor, legitimam e prestigiam determinadas formas do Saber. Serei para sempre um estudante e penso em meus filhos e nos filhos de meus amigos que não terão diploma. Será que eles vão ter o acesso e a permanência na Universidade garantidos? No momento a luta é pela democratização de um espaço, pela popularização do Restaurante Universitário da UFBA. Ao preço de UM REAL para os estudantes que tem fome - uma fome que vai além da vontade de comer. E essa luta vai além, nossa luta vai além. A sociedade necessita de igualdade e esta, de fato, só pode começar com a democratização do majoritário espaço do saber.

Denisson Palumbo, estudante de Letras Vernáculas.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÕES

CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÕES

SEGUNDA (10/05/2010)
ATIVIDADE: PASSAGEM EM SALA DE AULA
LOCAL: GEOCIÊNCIAS
HORÁRIO: 9H

ATIVIDADE: PEDÁGIO
LOCAL: GARIBALDI
HORÁRIO: 12H

ATIVIDADE: REUNIÃO E OFICINA DE CARTAZES
- AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DO DIA E REUNIÃO DA COMISSÃO PARA CONSTRUÇÃO DO FEIJÃO POPULAR
LOCAL: LETRAS
HORÁRIO: 18H

TERÇA (11/05/2010)
ATIVIDADE: FEIJÃO POPULAR
LOCAL: FÍSICA
HORÁRIO: 12H

QUARTA (12/05/2010)
ATIVIDADE: PASSAGEM EM SALA DE AULA
LOCAL: FACED
HORÁRIO: 9H

ATIVIDADE: FEIJÃO POPULAR
LOCAL: REITORIA
HORÁRIO: 12H

ATIVIDADE: AVALIAÇÃO
LOCAL: FACED
HORÁRIO: 19H

QUINTA (13/05/2010)
ATIVIDADE: FEIJÃO POPULAR
LOCAL: SÃO LÁZARO
HORÁRIO: 12H

SEXTA (14/05/2010)
ATIVIDADE: FEIJÃO POPULAR
LOCAL: RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO
HORÁRIO: 12H

GRANDE ATIVIDADE
LOCAL: RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO
HORÁRIO: 17H

quinta-feira, 6 de maio de 2010

A CAMPANHA “R.U. 1 REAL JÁ!” está nas ruas. Construída pelo Movimento Estudantil Autônomo tem expressado as contradições existentes na Universidade. Uma delas é a atual política de Assistência Estudantil encabeçada pela administração central da UFBA.

A UFBA destaca-se no cenário nacional como a universidade que tem um orçamento duas vezes maior que o da cidade de Feira de Santana (460 milhões de reais para 600 mil habitantes). O orçamento da UFBA equivale a 25% do orçamento destinado à capital baiana. Ou seja, o montante em jogo significa 926 milhões de reais!

Ignorando as reivindicações dos estudantes, a administração central abriu o Restaurante Universitário ao valor absurdo de R$ 5,50, para professores, servidores e estudantes não-bolsistas.

Diante dessa situação o movimento R.U UM REAL JÁ, FAZ UM CHAMADO PARA UMA GRANDE REUNIÃO UNIFICADA ENTRE SERVIDOR@S, ESTUDANTES E PROFESSOR@S. TEMOS O INTUITO DE UNIFICAR LUTAS A PARTIR DA PAUTA DO R.U DA UFBA, PENSANDO EM LUTAS FUTURAS QUE GANHAM MAIS FORÇAS SE NOS UNIFICARMOS.


DIA : SEXTA-FEIRA DIA 07/05/10 A PARTIR DAS 17:00 HORAS NO R.U EM ONDINA.

COMPAREÇAM, CHAMEM AS/OS COLEGAS DE TRABALHO. VAMOS CONS TRUUIR ESSA LUTA JUNT@S, UNIFICAR PRA VENCER!!!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

REUNIÃO > DIA 04/05/2010

PARTICIPE

Hoje, no ato realizado na reitoria, foi feita uma reunião de avaliação da atividade e foi marcada uma reunião com o objetivo de definir um calendário de mobilizações para a semana. A reunião será amanhã (04/05/2010), às 17h30, no pátio da FACED, no Canela.

Convocamos todos as pessoas para participarem e construirem o movimento, participando da reunião e ajudando na mobilização e dilvugação dessa pauta para que, assim, possamos mudar o preço do R.U. mais caro do Brasil.

UM REAL QUANDO?
JÁ!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Abaixo assinado pra passar nos cursos e divulgar a luta!


Foto: Revolta dos Pingüins- Chile

ABAIXO ASSINADO

Galera, que barril olha o que estão fazendo com a assistência estudantil. Depois de aproximadamente 20 ANOS, o RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO da UFBA foi reaberto.
Maaas... Ele é o MAIS CARO DO BRASIL R$5,50. Isso mesmo... CINCO REAIS E CINQUENTA para o bolso d@s estudantes! Parece piada, mas não é.
Lá na USP é R$1,90, na UFPI só R$0,80, aqui do nosso lado, em feira, R$1,00, ou seja, @ estudante gasta em uma semana, menos do que gastaremos em um dia.
Mas isso não ficará assim! Vamos tod@s junt@s nos mobilizar, para com muita luta este preço baixar, o que queremos? Um restaurante a preço popular. R$1,00 quando? Já!
Aqui está um dos nossos instrumentos, a tarefa é coletar um montão de assinaturas! Elas não serão o suficiente para chegarmos a nossa vitória, mas já fazem uma pressão danada e divulga nossa luta.
NAOMAR NÃO CONCORDA COM O RU A R$1,00. VOCÊ CONCORDA?
WWW.UMREALJA.BLOGSPOT.COM


CLIQUE AQUI E BAIXE O ABAIXO ASSINADO NA ÍNTEGRA

CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÕES

CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÕES

Terça-feira (27/04)

- Mobilização e oficina de stencil e cartazes.

- Divulgar e repassar o abaixo-assinado

Local: PAF 1

Horário: 10h

Quarta-feira (28/04)

- Mobilização e oficina de stencil e cartazes.

- Divulgar e repassar o abaixo-assinado

Local: SÃO LÁZARO

Horário: 10h

Quinta-feira (29/04)

- Mobilização e oficina de stencil e cartazes.

- Venda de tortas a R$ 1,00

- Dilvugar e repassar o abaixo-assinado

Local: FACED

Horário: 10h

Sexta-feira (30/04)

- Reunião para pensar o ato de segunda, na reitoria

- Recolher todas as assinaturas

Local: Pátio da FACED

Horário: 18h

Segunda-feira (03/05)

- Ato na reitoria

Local: Reitoria da UFBA

Horário: 09h

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A HISTÓRIA DO R.U DA UFBA

UFBA volta atrás e mantém serviço do RU exclusivo para bolsistas


Ufba volta atrás e mantém serviço do RU exclusivo para bolsistas

Danielle Villela A TARDE On Line

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) voltou atrás e não abrirá o Restaurante Universitário (RU) para toda a comunidade acadêmica próxima segunda-feira, 26. Depois de vinte anos desativado, o restaurante foi reaberto na última segunda-feira, 19, no Centro de Convivência do campus de Ondina, com atendimento exclusivo para os bolsistas da instituição. O plano inicial era passar a atender professores, servidores e demais estudantes a partir da segunda semana de funcionamento, com custo de R$5,50 por refeição.

No entanto, segundo a assessoria de comunicação da Ufba, o número de bolsistas que procurou o novo serviço no campus de Ondina foi maior do que o esperado. "Fomos surpreendidos com uma movimentação grande nesta primeira semana, pois pensávamos que a maioria dos estudantes continuasse a receber suas refeições na Residência Estudantil da Vitória", justifica Marco Antônio Queiroz, assessor de comunicação da universidade.

A Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Proae) da Ufba ainda não definiu uma nova data para abertura do RU para toda a comunidade acadêmica. Segundo nota oficial divulgada nesta quinta-feira, 22, "ainda são necessários ajustes na operação para fazer frente à demanda esperada".

Reclamações - Enquanto isso, aqueles que não são contemplados pela gratuidade reclamam do preço cobrado no novo RU da Ufba. Em matéria publicada pelo A TARDE On Line na última segunda-feira, muitos internautas compararam o valor de R$5,50 com valores cobrados em outras instituições do Brasil.

"Olha que barril é o RU mais caro do Brasil! UFPI R$ 0,80, USP R$ 1,90, UFRJ R$ 2,00, UFF R$ 0,70, UFRGS R$ 1,30", listou o internauta Victor Aede. A opinião foi confirmada pelo leitor Vinícius. "Um absurdo esse valor, na Uefs [Universidade Estadual de Feira de Santana] o almoço é R$1".

Mesmo comemorando a conquista da reabertura do RU, o leitor Marcelo pondera. "Maravilha, mas o preço ainda está longe de ser compatível com preço de RUs de outras universidades federais e é caro para a condição de muitos alunos que não serão incluídos nas bolsas", afirma.

Questionada pela reportagem, a assessoria de comunicação da Ufba afirmou não possuir os dados utilizados no cálculo do preço de R$5,50.

A HISTÓRIA DO R.U DA UFBA

Cordelisticamente pela causa


Era uma vez na Bahia
Na salvador, capital
Um grande elefante branco
Um belíssimo animal
Ele era meu e era seu
Patrimônio federal

Esse elefante anormal
Habita campus de lama
Savana ele não conhece
Repare na sua trama
Nunca saiu da Bahia
Mas é grande a sua fama

Foi falado paratodos
Cientistas de pouca idade
De boca a boca, evidente
Ele sem notoriedade
Pelo meio midiático
Ninguém soube a raridade

E na Universidade
Ele passou anos parado
Para o estudo aos espanhóis
E a um grupo politizado
Porém isso se acabou
Quando o bicho foi matado

Foi de uma morte matada
Institucionalizada
Para matarem a fome
De uma futura manada
Que será também defunta
Pra outra ser alimentada

Agora essa rara carne
Compram a cinco e cinqüenta
A preço de certas praças
Mas a gente não agüenta
Ou faz uma nova venda
Ou a gente arrebenta

Tá caro, tá caro, tá…
Tá salgada a refeição
R.U destemperado
Praça de Alimentação
Agora comer no shopping
É a melhor opção

Piadas aparte verão
Na salvador, capital
Camaradas bem unidos
Pelo o mesmo ideal
R.U bem temperado
Prato bom por um real

Pode vir senhor reitor
Para ver minha marmita
Para escutar o meu ronco
Duma barriga já aflita
Do caruru tu não come
Vai passar fome maldita

Tem pimenta nestes versos
Pois baiano sou bastante
E nessa tal Federal
Se o que falta é o picante
Então sinta mais o gosto
Dessa língua chamuscante

Ultrajante o restaurante
Neste estado, neste espaço
Já usado e reusado
E o pratinho a este preço
Sozinho, aqui me pergunto:
Será isso o que mereço?

Mas o piauiense
Paga, saibam só oitenta
O estudante lá da USP
Paga só um e noventa
E o de Feira de Santana?
O que a gente aqui só tenta

Prato bom por um real
Com saladas, grãos e soja
Macarrão, feijão e arroz
Pois não sou da sua corja
Um prato a cinco e cinqüenta
O aroma até me enoja

Vou comprar lá na baiana
Feliz, par de abarás
Abastecer de dendê
Meu organismo eficaz
Que precisa de comida
Mas não da cara demais

Faço rir o satanás
E sinceramente minto
Eu não como muitos livros
Eu ando lerdo, faminto
Onde é a aula de hoje?
Desesperado me sinto

Sento na minha cadeira
Confuso do meu lugar
Logo essa aula se acaba
E amanhã outra terá
E talvez não possa vir
Quando que vou me formar?

A fome me faz pensar
Com a barriga vazia
Vejo as cores da vertigem
Era uma vez na Bahia
Um seco universitário
Que fazia poesia

E o aberto elefante branco
Um belíssimo animal
Do qual não comeste nada
Nem um pedaço sem sal
Assim fica desnutrido
Morre pedindo um real

Por Denisson Palumbo, estudante de Letras-UFBA

Visite o blog dele


quinta-feira, 22 de abril de 2010

UM REAL JÁ (ponto)

UM REAL JÁ (passagem)

Táticas e métodos de luta da Campanha RU a R$1,00 já!

A Campanha "RU a R$1,00 já!" já está na universidade. Já passamos em algumas salas e a glera já comenta pelos corredores e na Internet sobre isso. Agora precisamos discutir que táticas de pressão vamos adotar. O RU vai ser administrado por uma empresa privada, temos que mostrar que nossa comida não é mercadoria, através de mobilizações com muit@s estudantes.

As lutas por nossos direitos na universidade são históricas, diversas táticas já foram adotadas para obtermos nossas conquistas, para isso um ponto crucial é a nossa UNIÃO! Temos que construir JUNT@S o nosso processo!

Mas que processo é esse?
 O primeiro é a agitação: a maneira mais dialogável que chegamos nas outras pessoas propondo as pautas que nos unificam. Essas são as passagens em sala;
 O segundo é a organização, onde nos reunimos, estudamos e definimos nossa tática;
 O terceiro é COLOCAR EM PRÁTICA a nossa tática para que a gente possa garantir que nossas lutas cheguem aos objetivos que reivindicamos!

Vamos enumerar aqui táticas comuns, pra que possamos ir pensando e decidirmos na segunda-feira o que fazer pra pressionar a reitoria e o governo federal. Uma coisa sabemos, precisa ser uma tática de massa, precisamos de centenas, milhares de estudantes pra conquistarmos o RU a R$1,00. Porque o peso do povo é o povo em peso!

Ocupação – A ocupação é uma tática importante e muito usada. Consiste em ocupar de fato o prédio público, nos organizarmos para morar lá até sair o preço de R$1,00. Em ocupações de RU pelo Brasil o mais importante é conseguir que a ocupação consiga estudar o porque do preço alto, e consiga fazer comida barata para os/as estudantes ocupad@s e não ocupad@s.

Pulaço – É um método muito usado quando o tema é RU. Consiste em pular as catracas e comer sem pagar, e fazer isso até sair o preço popular que de fato nós podemos pagar. Foi usado esse ano na UFRPE e cortou, no mesmo dia, o preço do RU pela metade, mas continua em luta para abaixar mais.

Greve – As greves não são paralisações para ficar em casa. Elas são formas de parar as atividades normais para mostrar que não estamos enfrentando algo normal. Para isso, é importante fazermos mobilizações que mostrem a sociedade como um todo o que está acontecendo e assim pressionar mais o reitor e o governo federal.

Passeatas – As passeatas são historicamente muitas usadas na UFBA. Os/As estudantes de Química usaram esse ano. Saíram de lá do IQ com faixas, cartazes, gritos de ordem e panfletos explicando que estava fazendo 1 ano de incêndio no IQ e as reformas ainda não tinham começado. Andaram pela Cardeal da Silva até a Reitoria fechando uma das pistas e, ao chegar, impediram o Vice-Reitor Mesquita de sair do prédio. Ele pediu pra fazer uma comissão (sic), os/as estudantes recusaram e o obrigaram-no a descer para o salão nobre da reitoria para discutir com todos e todas. Assim se conquistou a verba pra reforma do IQ.

Comissão de acordo – Comissões são a degeneração do Movimento Estudantil. Não é a toa que as reitorias adoram. Separam-se uns 5 ou 6 estudantes, geralmente dos grupos políticos, desmobilizam-se os/as estudantes para normalidade e a comissão vai negociar com o reitor. Em mesa de reunião os/as estudantes sempre perdem! No fim, a gente acaba sem conquistar o que realmente queríamos e um pequeno grupo de estudantes pode reivindicar pra si a luta de todos/as e se auto-promoverem.

CONSUNI – O CONSUNI é o conselho superior universitário. Nele são discutidas e decididas todas as coisas importantes da UFBA. Votam Diretores/as de Institutos, representantes de professores/as, servidores/as e estudantes, votam os pró-reitores e uma pequena representação externa. Se os/as estudantes não se mobilizarem, o CONSUNI vira uma reunião e o interesse dos/das estudantes é atropelado, já que somos extrema minoria. Precisamos estar em massa nesse espaço! Só com milhares de estudantes poderemos fazer nossa voz ser ouvida, nem que seja no grito.

Essas são as principais táticas de mobilização. Somos completamente contra a formação de comissões e acreditamos na mobilização estudantil. A partir de segunda, o movimento vai ter que começar a fazer escolhas. Um princípio é importante: a luta direta, a mobilização de massa dos estudantes.

NÃO PAGO, NÃO PAGARIA, O NOSSO ALMOÇO NÃO É MERCADORIA!!!
JUVENTUDE QUE OUSA LUTAR, CONSTRÓI RU POPULAR!
CAMPANHA DE MOBILIZAÇÃO RU A R$1,00 JÁ! !
O PESO D@S ESTUDANTES SÃO @S ESTUDANTES EM PESO!


APAREÇA NA SEGUNDA DIA 26 ÀS 14 HORAS NA BIBLIOTECA CENTRAL DE ONDINA!!!

O que é Restaurante Universitário?!

O anúncio da abertura do Restaurante Universitário a R$5,50 trouxe de volta um debate que as pessoas sentem vergonha de fazer: o estado de fome que os/as estudantes muitas vezes passam, com os altos preços cobrados na UFBA, quando o esquema de trazer comida de casa não funciona ou se apela pra um amigo/a ou ficamos as vezes o dia todo com um salgado.

Quantas vezes, ao invés de uma boa tarde de estudo numa biblioteca da UFBA, não precisamos voltar pra casa porque não temos dinheiro para comer?! E, no fim do mês, há sempre aqueles dias de escolha: tirar a xerox ou comer direito!?

Isso tudo porque a UFBA não tem um preço popular, um preço que esteja no orçamento dos/as estudantes. Ao preço de R$5,50 ao dia, um/a bolsista PIBIC/IC vai gastar, só de almoço na universidade 44% do que ganha. Caso faça duas refeições, gastará 88% do que ganha. Duas refeições por dia custarão o valor de R$330,00 em um mês. Como comer nos outros dias? E como ir e voltar de casa? E como pagar pela xerox? Livros então nem se falam, eles não se encaixam no orçamento...

Nos incisos 1 e 4, do artigo 206 da contituição federal, é dito que o ensino deve ser ministrado segundo o princípio:

I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

IV - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;

É por isso que o transporte dos/as crianças do campo, a merenda escolar e o restaurante universitário a um preço acessível não são esmolas dadas pelo Reitor em final de mandato, mas direitos do povo, e de nós estudantes em particular, que temos não de esperar, mas exigir e conquistar.

Se você se sente nessa situação, tem a necessidade do Restaurante Universitário com preço popular, mobilize-se! mecha-se! Venha para a reunião da segunda (dia 26/04/2010) às 14 horas, em frente a Biblioteca Central da UFBA e vamos fazer luta até termos RU a R$1,00!!!!!!

Olha que barril, é o RU mais caro do Brasil!

Juventude que ousa lutar, constrói R.U. popular!

Queremos assistência estudantil, mas não pela metade!

Para Permanecer na Universidade temos que Permanecer em Luta!

RU A 1 REAL QUANDO?

JÁ!!!

O QUE É E COMO NASCEU O MOVIMENTO RU UM REAL JÁ

No dia 16 de abril de 2010, a reitoria divulgou no site da UFBA a futura abertura do Restaurante Universitário (RU). Desde segunda-feira, o RU funcionou apenas para os Bolsistas Moradia, Bolsistas Alimentação, Bolsistas Residência Garibaldi. O RU abrirá, oficialmente, na segunda-feira no Centro de Convivência da UFBA, vulgo elefante branco de Ondina.

A abertura imediata do RU sempre foi uma pauta importante para o movimento estudantil da UFBA. A UFBA deixará de ter a fama de ser, juntamente com a UFPE, uma das duas únicas universidades federais do Brasil que não têm um Restaurante Universitário, mas ganhará a fama de ter o RU mais caro do Brasil, com o valor absurdo de R$ 5,50!!

Sabendo dessas informações, diversos estudantes de diversos cursos fizeram uma reunião e decidiram começar uma movimentação na universidade pela diminuição imediata do valor para R$1,00. Inicialmente, combinamos de fazer um ato na abertura do R.U, mas, quando soubemos que não aconteceria essa abertura oficial, decidimos, então, passar nas salas de aula do PAF3, no turno noturno, chamando os estudantes da UFBA para uma reunião geral no pátio da biblioteca central, em Ondina. Nessa reunião, discutiremos formas de mobilizar a universidade para que esse valor absurdo não seja cobrado à comunidade universitária e exigindo a redução do valor para R$ 1,00, que é um valor justo, que garante a permanência estudantil e que é o mesmo de outras universidades do Brasil.

Em nossas passagens em salas, os alunos nos receberam muito bem e percebemos o quanto é importante lutarmos pela construção de uma mobilização na UFBA que lute pela diminuição do valor do R.U para R$ 1,00, um valor justo e que garante a permanência do estudante na universidade. Com nossos cartazes, tapumes e gritos, diversos estudantes aderiram à causa.

Depois de passarmos nas salas de aula, decidimos ir ao salão principal da biblioteca central, pois soubemos que o então reitor estava lá, na cerimônia de abertura de uma exposição. Fomos à biblioteca central e fizemos nossa manifestação durante o evento que tinha as figuras centrais da atual gestão da reitoria. Convidamos Naomar de Almeida a nos prestar esclarecimentos no microfone sobre o valor do R.U e sobre a política de permanência que a UFBA garante. O reitor aceitou o convite, mas não nos deu grandes explicações, falando apenas àquilo que já sabíamos e que foi divulgado no site. O mais importante é que nos disse que não considera o valor de R$ 1,00 justo. Para ele, o valor deve ser mais alto que isso e utilizou de argumentações burocráticas que são (e foram) facilmente superadas em outras universidades públicas do país. Após manifestação responsável e objetiva, terminamos nossas atividades do dia.

Em nossa reunião de avaliação, decidimos manter mais mobilizações e construirmos espaços de divulgação aos estudantes. Desse modo, convidamos você, caro estudante da UFBA que considera esse valor um absurdo a somar em nossas passagens durante a semana que divulgaremos nesse blog e a participar da reunião de segunda-feira, às 14h, no pátio da Biblioteca Central, em Ondina.

RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO A UM REAL QUANDO?

JÁ!!!!!

QUANDO?

JÁ!!!!!

QUANDO?

JÁ!!!!!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

1º Cordel

Primeiro Cordel do R.U. a 1,00 real!


Personagem 1- Ficar na universidade ta difícil,
Meu dinheiro tá acabando,
Não consigo agüentar,
A minha barriga tá roncando

Personagem 2 – Acredite que é mais barato ir pra casa e voltar,
Pegar 2 transportes,
Pra poder almoçar

Personagem 3 – Vocês viram que beleza?
Vocês viram que alegria?
Só faltam poucos dias pra acabar essa agonia
Relaxem minha gente que vai ter R.U. pra gente!!!!

1 – RU que nada! Vai abrir outra cantina!
Com R$5,50 todo dia lá no final do mês...
Dá pra mais de 100 reais no bolso de vocês!

2 – Na USP é R$1,90, na UFPI é só 0,80!
Aqui em Feira é 1 real!
E pasmem o RU na UFBA é o mais caro do Brasil!
Ainda dizem que isso é assistência estudantil.

3 – Mas disso eu não sabia!
Este preço é um absurdo!
Esse preço é um problema!
Pra sair desse dilema, qual o esquema?
É procurar a melhor chapa e votar na eleição?

1 – Que chapa que nada!
Tem 10 anos que isso é pauta,
Toda chapa fala nisso,
Só o DCE não basta pra fazer o rebuliço!

2 – Vamos nos organizar para fazer mobilização...
Se a gente não fizer barulho, ninguém presta atenção!

3 – Um preço justo é 1 real,
Para termos alimentação e permanecer na universidade.
Afinal de contas:
Olha que barril, é o RU mais caro do Brasil!

PROGRAMAÇÃO

PROGRAMAÇÃO DE PRÓXIMAS ATIVIDADES


QUINTA-FEIRA (22/04/2010)
- Mobilização no Canela (FACED, PAC, ICS) - Concentração: 9h no pátio da FACED
- Possibilidade de mobilização em IGEO
- Reunião - Avaliação - 19h - Pátio da FACED


SEXTA-FEIRA (23/04/2010)
- Oficinas:
a) Cartazes
b) Stencil
c) Intervenções

LOCAL: C.A de Letras (Ondina)


SEGUNDA-FEIRA (26/04/2010)
- Reunião às 14h: Pátio da biblioteca central (Ondina)

Participem de nossas atividades e, principalmente, da reunião de segunda-feira!!!

O R.U. MAIS CARO DO BRASIL!!!
PERMANCER NA UNIVERSIDADE É PERMANCER NA LUTA!

terça-feira, 20 de abril de 2010

R.U UM REAL JÁ

R.U. um real, já!

Vídeo de intervenção em sala de aula do Movimento RU Um Real Já

video

Encontro com o Reitor!


Reitor, finalmente o senhor concorda que 1,00 é um preço justo?
Naomar : NÃO CONCORDO.

E o que dizemos pra ele?
Vamos lutar e não desistir NUNCA!

Confiram em:
http://www.youtube.com/watch?v=Li8NbDzO9eg

http://www.youtube.com/watch?v=lley92qjnZs

http://www.youtube.com/watch?v=HUM9DbtFJ1w

MOVIMENTO R.U. A 1 REAL!

Depois de anos de luta, reinvidicações e mobilizações d@s estudantes pela reabertura do Restaurante Universitário, a reitoria acha que pode brincar com a nossa cara e abre o R.U. mais caro do Brasil!! R$ 5,50 a refeição!!!!!

Só como exemplo, na USP a refeição custa R$1,90, na UFPI R$0,80, UEFS R$1,00, UFAL R$1,00, UFMA R$1,20, UFS R$1,00!

O Restaurante Universitário (R.U,) é uma política de acesso a educação e de permanência na Universidade. Sem R.U. muitos de nós literalmente passamos fome. Se um/a estudante apenas almoçar de segunda a sexta na Universidade, pagando o absurdo de R$ 5,50 vai gastar mais de R$110,00 por mês, o que dá quase 25% do salário mínimo e 44% de uma bolsa estudantil, e isso só para o almoço!!

As/os estudantes não podem ficar paradas/os! O R.U. precisa cumprir sua função, que é garantir aos/as estudantes a possibilidade de continuar se educando e não funcionar como mais um restaurante para gerar lucro e onde só alguns podem pagar.

Isso tudo tem a ver com você? Também não acha justo pagarmos esse preço? Não é só votando em nossas representações que garantimos nossos direitos. Junte-se a nós nessa luta! Quando?

PRÓXIMA SEGUNDA (26/04)

14 H NA BIBLIOTECA CENTRAL (Ondina)!

QUEREMOS ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL, MAS NÃO PELA METADE!

R.U. A R$1,00 JÁ!

R$ 5,50 eu NÃO PAGO!!